back Voltar ao Blog



O que fica da morte de Luna Andermatt, figura «rebelde e determinada»


A antiga bailarina e coreógrafa Luna Andermatt, cofundadora da Companhia Nacional de Bailado, morreu no passado dia 5 de novembro, aos 87 anos, em Lisboa, vítima de doença prolongada, disse à agência Lusa fonte da família.

Considerada uma das figuras mais importantes da dança em Portugal, Luna Andermatt integrava ainda a Companhia Maior, formada por profissionais do teatro, dança e música, com mais de 60 anos.

Medalha municipal de mérito, Grau Ouro

Em fevereiro passado, Luna Andermatt foi homenageada com a medalha municipal de mérito, Grau Ouro, pela Câmara Municipal de Lisboa, pelo contributo para a dança em Portugal como bailarina, coreógrafa e professora.

Maria Antónia Luna Andermatt, nascida em 1926, tinha o sonho «de dignificar a arte da dança em Portugal», com a formação de bailarinos profissionais, como afirma a CNB numa biografia sobre a coreógrafa.

Fundou a Companhia Portuguesa de Bailado

Em 1961 fundou a Companhia Portuguesa de Bailado, com o marido, Francisco de Assis Brás de Oliveira. Três anos depois da revolução de 25 de abril de 1974, a convite do então secretário de Estado da Cultura, David Mourão-Ferreira, criou e dirigiu a CNB.

Figura «rebelde e determinada», como descreve a CNB, Luna Andermatt criou ainda o Centro de Estudos de Bailado, no Teatro Nacional de São Carlos, aprofundou em Londres e em Paris os conhecimentos sobre o ensino da dança e protagonizou, juntamente com Vera Varela Cida, dois programas televisivos dedicados à dança.

Abaixo segue o vídeo de homenagem feito à coreógrafa, aquando da entrega da medalha municipal de mérito pela Câmara de Lisboa, no Teatro Camões em Lisboa, no dia 14 de fevereiro de 2013.

Flor
Texto escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico.
Quinta, 14 de Novembro, 2013 por Flor